O preço que vamos pagar para livrar Lula e Dilma

O Antagonista está espantado com a moldura legal que o governo do PT criou para os acordos de leniência entre a Controladoria-Geral da União e as empreiteiras do Petrolão. É um escândalo dentro de outro escândalo.

Nela, há um dispositivo que impede a Justiça de proibir empréstimos subsidiados pelo BNDES. Isso quer dizer que, além de continuar a celebrar contratos com o governo, as empreiteiras do Petrolão poderão ter acesso a crédito barato financiado pelo Tesouro Nacional.Traduzindo: financiado por você e pela torcida do Flamengo. É isso mesmo — as empreiteiras que ajudaram a depenar a Petrobras ainda contarão com dinheiro a juros baixíssimos porque a diferença sai do bolso dos contribuintes.

Para se ter um ideia, nos últimos seis anos, o total dos repasses do Tesouro ao BNDES saltou de 10,7 bilhões de reais para 514,6 bilhões. E boa parte das circunstâncias dos empréstimos concedidos com esse dinheiro — o seu dinheiro — permanece sob sigilo do BNDES. É o caso dos empréstimos dados ao grupo JBS/Friboi, o maior financiador da campanha de Dilma Rousseff, que auditores do Tribunal de Contas da União querem esquadrinhar e o BNDES — não a JBS/ — não quer deixar.

Em resumo, esse foi o preço fixado pela empreita para, por meios dos acordos de leniência com a CGU, afastar Lula e Dilma da sujeira do Petrolão.

Dança, Brasil.

Faça o primeiro comentário