O presidente da Fecomércio pode falar sobre Cristiano Zanin

Telegram

O presidente da Fecomércio, Orlando Diniz, preso hoje pela Lava Jato, talvez se interesse em falar sobre os pagamentos para os advogados de Lula, Roberto Teixeira e Cristiano Zanin.

Leia o que publicamos um ano e meio atrás:

“Adriana Ancelmo, mulher de Sérgio Cabral, está na mira do Ministério Público por ter recebido R$ 13 milhões da Fecomércio por supostos serviços jurídicos. Mas ela não é a única.

Também são investigados Roberto Teixeira e Cristiano Zanin Martins, advogados de Lula, e Tiago Cedraz, filho de Aroldo Cedraz, além de outros advogados filhos de ministros do STJ.

A Fecomércio e o sistema Sesc/Senac do Rio, sob o comando de Orlando Diniz, que é amigo de Cabral, torraram R$ 180 milhões com bancas de advogados, aparentemente sem fundamento.”

Comentários

  • James -

    Ouvi dizer que os honorários de Cristiano Zanin e sua esposa para a defesa de Lula foram de R$ 58 milhões. É verdade?

  • Luis -

    Isso todos sabemos, que é lavagem de dinheiro através desses escritórios de advocacia. O Brasil tá podre. Todo mundo com rabo preso, do judiciário,legislativo e executivo. Só nos resta a lava jato. É muito complicado lutar contra esse sistema, que está a mais de três décadas corroendo e sugando nossa sociedade.

  • Mordedor -

    Rato de porão. Ele e a figura abjeta e seu sogro Roberto Teixeira terminarão seus dias atrás das grades. Farão companhia ao comparsa Luis Inácio Lulla da Silva, a quem defendem com destemor e bravura.

Ler 78 comentários