Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

“O presidente é pessoa simples, eu tinha que fazer resumo das coisas”

Arthur Weintraub voltou a falar sobre como assessorou Jair Bolsonaro durante a pandemia
“O presidente é pessoa simples, eu tinha que fazer resumo das coisas”
Foto: Pablo Valadares/Câmara dos Deputados

Em live transmitida neste domingo, Arthur Weintraub, apontado como um dos líderes do “Ministério da Saúde Paralelo” e promotor das imposturas bolsonaristas sobre a Covid, voltou a falar sobre como assessorou Jair Bolsonaro durante a pandemia.

Falando então de bastidor. Teve o problema [a pandemia], a gente começou a buscar solução. Eu não sou médico. O diretor da OMS também não é médico. É uma questão de eu ter a possibilidade na época de ler as coisas e conseguir falar com as pessoas. E aí eu comecei a falar com os pesquisadores, por exemplo, Paolo Zanotto, virologista de Oxford. Quando eu comecei a conversar com o presidente isso chegou ao conhecimento das pessoas. O presidente é uma pessoa simples, eu não vou ficar passando paper científico para ele, eu tinha que fazer um resumo das coisas”, disse.

Eu comecei a assessorar em março, abril, as informações eu fui passando para ele. Aí ele começou a ter os contatos com os médicos, a dra Nise [Yamaguchi]. Eu fazia o contato, o presidente me dizia assim ‘eu quero conversar’, eu já passava diretamente. Eu digo pra vocês, eu cheguei a entregar folhas e no dia seguinte tava tudo grifado, ele lia.”

Como mostramosa cúpula da CPI da Covid avalia mandar um representante da área técnica do colegiado para os Estados Unidos para tomar o depoimento de Arthur.

Na última sexta-feira, ele e o irmão Abraham Weintraub anunciaram que estão se recuperando de um caso grave de Covid.

Leia mais: Assine a Crusoé e apoie o jornalismo independente.
Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
>
TOPO