O “presuntão de inocência”

A OAB manifestou-se contrária à decisão do STF de colocar na prisão quem já foi condenado em segunda instância. Diz que traz “danos irreparáveis”.

Danos irreparáveis, só se for às contas bancárias dos chicaneiros.

A OAB não apoia a presunção de inocência, mas o “presuntão de inocência” que rendia honorários ainda mais gordos aos especialistas em esticar processos e garantir impunidade a criminosos ricos e poderosos.