O PT recolheu propina por dentro e por fora

O juiz Sergio Moro perguntou a Ricardo Pessoa por que ele pagava propina.

Resposta:

“Porque fomos cobrados politicamente”.

Sergio Moro perguntou-lhe então se ele tinha conhecimento de que a propina ia para agentes políticos e partidos:

Ricardo Pessoa respondeu:

“Tinha conhecimento e certeza”.

Sergio Moro perguntou se ele participou do acerto para o pagamento de propinas por parte do cartel nas obras do Comperj.

Ele foi categórico:

“Participei. E ficou combinado que pagaríamos ao PT, através do Barusco e do Vaccari, por solicitação de Renato Duque. A Odebrecht ficou encerragada da área de Abastecimento”.

Sergio Moro:

“O sr. Vaccari recolhia valores para o Partido dos Trabalhadores?”.

Ricardo Pessoa:

“Sim”.

Sergio Moro:

“Como o sr. repassava valores para o sr. Vaccari ?”.

Ricardo Pessoa:

“Vaccari queria que sempre fizesse contribuições no Diretório Nacional. Para nós era indiferente, eu até preferia porque eliminava a posição de caixa dois. Então, à medida em que os parcelamentos eram definidos por cada contrato, eu fazia as contribuições mensais para o PT”.

Sergio Moro:

“Mas essas contribuições mensais faziam parte do acerto da propina?”.

Ricardo Pessoa:

“Sim sr.”.

Sergio Moro:

“Eram feitas doações oficiais ou doações por fora?”.

Ricardo Pessoa:

“Doações oficiais na conta do partido, do Diretório Nacional, invariavelmente”.

Sergio Moro:

“Eram feitas doações por fora?”.

Ricardo Pessoa:

“Ele (Vaccari) pediu, ao longo desse período, alguns pagamentros em espécie. Eu apresentei uma tabela de R$ 3,921 milhões”.

Faça o primeiro comentário