O PT vai fazer autocrítica. O Antagonista ajuda

No seu aniversário de 35 anos e no seu Congresso Nacional, o PT resolveu pensar a relação e fazer autocrítica. Caiu a ficha de que o partido quase perdeu a Presidência da República por causa das lambanças nos doze anos do poder. Quem vai liderar o processo será Luiz Inácio Lula da Silva. O partido até cogita chamar pessoas de fora, como jornalistas e gente ligada à cultura, para ouvir o que elas têm a dizer.
Os antagonistas Diogo e Mario, que certamente não serão chamados a colaborar, mesmo assim resolveram dar uma mão à autocrítica do PT. O partido deveria reconhecer no mínimo que:

a) Roubou deslavadamente dinheiro público para comprar apoio no Congresso, no escândalo do mensalão
b) Nunca existiu caixa dois nenhum no mensalão, que essa foi uma invenção de Márcio Thomaz Bastos, para tentar aliviar a barra do governo
c)  Lula sabia de tudo e deu a sua aprovação ao mensalão
d) O dinheiro do dossiê dos aloprados, 1 750 000 reais em notas de pequeno valor, era oriundo do dízimo de uma igreja evangélica que apoia o PT
e)  Os governos Lula e Dilma fracassaram em transformar o Brasil numa economia moderna e abriram caminho para um retrocesso
f) O governo Dilma vem maquiando o desastre nas contas públicas
g) O partido aparelhou a máquina estatal, para enriquecer militantes e perpetuar-se no poder
h) José Dirceu et caterva não são “heróis do povo brasileiro” , mas aproveitadores
i)  O partido e os seus aliados saquearam bilhões de reais da maior empresa do Brasil, a Petrobras
j) Lula e Dilma sabiam de tudo o que se passava na Petrobras
k) O partido chantageou os brasileiros pobres na última eleição, dizendo que a oposição lhes tiraria o Bolsa Família e outros benefícios
l) O PT quer controlar a imprensa
m) O PT paga, com dinheiro público, mercenários na internet para difamar e caluniar jornalistas honrados
n) Os petistas rotulam de extrema-direita pessoas apenas extremamente direitas

Uma vez feita a autocrítica de cada um desses, digamos, “erros”, Lula encaminharia uma resolução ao Congresso do Partido, pedindo a dissolução da agremiação e registrando a promessa de que ele e a sua turma jamais voltariam a entrar na política.
Porque a única autocrítica verdadeira que o PT pode fazer é a sua completa autoeliminação.


Retrato do PT, depois de tirar a máscara