ACESSE

O QUE O CONGRESSO PODE FAZER

Telegram

Após o STF confirmar, na noite de ontem, a derrubada da prisão de condenados em segunda instância, a bola está com o Congresso.

Há três propostas em tramitação no Parlamento que poderiam resgatar o entendimento anterior.

Para aprovar uma PEC, depois de análise em comissões, são necessárias duas votações no plenário da Câmara e do Senado, com o apoio de 308 deputados e 49 senadores.

A tramitação de um projeto de lei tende a ser mais rápida: basta a aprovação de maioria simples do Parlamento. Porém, não é consenso que a questão da prisão na segunda instância pode ser resolvida por meio desse instrumento, sem mudar a Constituição.

Conheça as propostas:

1. PEC NA CÂMARA

A PEC 410 de 2018 foi apresentada pelo deputado Alex Manente (Cidadania) em 27 de março daquele ano.

A proposta prevê que “ninguém será considerado culpado até a confirmação de sentença penal condenatória em grau de recurso”.

Atualmente, a PEC está pronta para ser votada na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). O parecer favorável da relatora, deputada Caroline de Toni (PSL), está pronto desde 16 de outubro.

O presidente da CCJ da Câmara é o deputado Felipe Francischini (PSL).

2. PEC NO SENADO

A PEC 5 de 2019 foi apresentada pelo senador Oriovisto Guimarães (Podemos) em 14 de fevereiro deste ano.

A proposta determina que “a decisão condenatória proferida por órgãos colegiados deve ser executada imediatamente, independentemente do cabimento de eventuais recursos”.

Atualmente, a PEC está pronta para ser votada na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). O parecer favorável da relatora, senadora Juíza Selma (Podemos), está pronto desde 6 de agosto.

A presidente da CCJ do Senado é a senadora Simone Tebet (MDB).

3. PROJETO DE LEI NO SENADO

O Projeto de Lei do Senado 147 de 2018 foi apresentado pelo então senador Cássio Cunha Lima (PSDB) em 3 de março daquele ano.

A proposta prevê que, “para fins de cumprimento de sentença penal condenatória, o trânsito em julgado será considerado a partir da condenação em segundo grau”.

Atualmente, o projeto está emperrado na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). O senador Rodrigo Pacheco (DEM) foi designado relator em 26 de março deste ano, mas até agora não apresentou parecer.

Atualização: O senador Jorge Kajuru (Cidadania) apresentou nesta sexta-feira um projeto de lei para alterar o Código de Processo Penal, garantido a prisão de condenados em segunda instância. Leia mais aqui.

Foto: Adriano Machado/Crusoé

O combate à corrupção pode não ser o único derrotado com decisão do STF. Os avanços econômicos serão ameaçados. SAIBA MAIS AQUI

Comentários

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 108 comentários