Os crimes eleitorais de Dilma

Das ações que correm no TSE contra Dilma Rousseff, a mais importante é a de impugnação de mandato eletivo. Como mostramos mais cedo, todas elas devem ser unificadas para análise de apenas um relator – ou relatora, no caso de Maria Thereza.

Nas diferentes frentes, Dilma está sendo acusada pelos crimes de abuso de poder político e econômico, uso da estrutura pública na disputa eleitoral e por financiamento ilegal da campanha, com uso de dinheiro desviado da Petrobras.

Quando essas ações foram protocoladas, os elementos probatórios ainda eram escassos, especialmente em relação às doações ilegais. Mas o avanço da Lava Jato trouxe evidências incontestáveis. A boa instrução desses processos recomenda que o relator solicite à Lava Jato o compartilhamento dessas provas.

Para reforçar a investigação sobre o uso da máquina, o relator agora tem também à disposição o potente relatório do TCU que recomendou a rejeição das contas do governo Dilma em 2014. No documento, consta que a manipulação da contabilidade oficial teve objetivo eleitoral.

Provas não faltam, o que falta é coragem.