O rompimento de Crivella e Garotinho

Telegram

Aliados nas eleições municipais de 2016 desde o primeiro turno, os clãs Crivella e Garotinho racharam no Rio de Janeiro, registra O Globo.

“O estopim da briga foi a atitude tomada pelo prefeito Marcelo Crivella (PRB) nas últimas semanas de demitir dezenas de pessoas ligadas à deputada federal Clarissa Garotinho (PROS), filha do ex-governador Anthony Garotinho (PRP).

(…) Em 2016, Crivella e Garotinho foram parceiros em diversas cidades do estado. A aliança foi decisiva na capital para derrotar o deputado Pedro Paulo Carvalho, na época filiado ao MDB. A partir dali, Garotinho considerava-se apalavrado com o senador Eduardo Lopes, presidente do PRB no Rio, para ser o candidato a governador do grupo em 2018.

Nada caminhou nessa direção desde então. Clarissa até chegou a ser secretária de Trabalho de Crivella em 2017, mas a pasta tinha poucos recursos e pouca entrada na área social.

Além disso, o deputado Indio da Costa (PSD) passou a se cacifar como o candidato a governador de Crivella. O parlamentar passou a atacar o ex-governador sob o silêncio do prefeito: ‘A política de Garotinho é a de manter o pobre na pobreza’, disse Indio ao jornal ‘Folha da Manhã’, de Campos, base eleitoral do ex-governador.”

 

Comentários

  • Marcelo -

    PP não foi derrotado pelo apoio do Garotinho, mas por sua própria rejeição... Analogamente, as forças de repulso do eleitorado irão mandar pastar um monte de integrantes do MCSV (movimento dos caciques sem voto)

  • TUDO -

    se chegou no quarto, significa que não deveria ter apenas 1 voto , o próprio. Como já esta visto. TUDO VAI CONTINUAR A MESMA COISA, mesmo depois das eleições. Parece que a população ainda não se conscientizou..... TUDO DANTES no Quartel de Abrantes, antes, depois das eleições A população merece.....

  • O -

    Mas o garotinho não estava preso ? Intervenção militar já!!!!

Ler 4 comentários