O “selo” anticorrupção da ONU não vale nada

O pacto global da ONU que reúne empresas dispostas a combater a corrupção, citado com orgulho pelo CEO da Saab, Hâkan Buskhe, é o mesmo que o BTG de André Esteves assinou, como mostramos aqui na semana passada.

Esse selo da ONU não vale nada, mas deve custar um bocado.