ACESSE

"O Senado mostrou ser reativo e, até certo ponto, vingativo"

Telegram

O senador Eduardo Girão (Podemos) lamentou a aprovação, na noite de ontem, do polêmico projeto das fake news.

Ele disse que a votação foi feita “a toque de caixa, de forma intempestiva e inoportuna, excluindo o debate”.

“Talvez até de propósito”, afirmou.

“O Senado mostrou ser reativo e, até certo ponto, vingativo. Foi uma coisa do fígado, e não da razão, do bom senso”, acrescentou Girão.

Davi Alcolumbre insistiu em manter o assunto na pauta, a despeito da forte resistência de líderes partidários e de entidades ligadas à internet.

O presidente do Senado pautou pela primeira vez a proposta quando da primeira operação autorização pelo STF que mirou bolsonaristas.

Girão disse que, com a aprovação do projeto, o Senado “teima em se apartar da sociedade”.

“Uma Casa que não instala CPI da Lava Toga, deixa na gaveta pedidos de impeachment de ministros do STF, mas vota, a toque de caixa, um projeto desses: é uma incoerência profunda.”

O senador lembrou que, antes da aprovação do novo marco legal do saneamento básico, por exemplo, foram realizadas 23 audiências públicas.

A quantidade de audiências públicas sobre o projeto das fake news? Zero.

“Esperamos que a Câmara faça um debate de mais alto nível.”

Leia mais: A estratégia de Bolsonaro para chegar ao fim do mandato

Comentários

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 17 comentários