Uber versus táxis: senador tem três emendas prontas

Enquanto Lindbergh e sua turma se firmam como “os petistas dos taxistas”, o senador Lasier Martins, do PSD do Rio Grande do Sul, tem adotado o discurso de que “não é possível permitir o retrocesso”.

O Antagonista soube que, se a votação ocorrer mesmo hoje, o gaúcho já tem três emendas prontas com a intenção de, pelo menos, tentar viabilizar a continuidade do serviço dos aplicativos de transporte.

São elas:

— Estabelecer prazo de 6 meses para que a lei entre em vigor, retardando a aplicação da eventual nova legislação;

— Simplificação das regras impostas, acrescentando obrigações como o cadastro junto às prefeituras;

— O direito de o motorista da Uber usar carro próprio ou de terceiros e poder trabalhar em municípios vizinhos.

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;

Ler 5 comentários
  1. É liquido é certo que se houver algo que possa melhorar nossas vidas, a ORCRIM petista e seus puxadinhos darão um jeito e farão tudo para combate-lo. É tradição entre a esquerdalha, que quanto pior a vida para nós todos, melhores são as chances da petralhada chegar ao poder. Esta ai o caso do UBER para provar. É um serviço aprovado por todos os brasileiros, então deve ser combatido pelo PT e seus satélites.

  2. Ótimo trabalho e boa sorte ao senador nessa sua intervenção legislativa.
    No século passado, até a sua metade para ser exato, havia uma profissão essencial para a mobilidade humana e urbana. Sem esse profissional, os seres humanos estavam fadados a transportarem qualquer coisa e a si próprios somente por suas pernas. Sem esse profissional, os animais de tração ficavam inúteis em pouco tempo de trabalho.
    Esse profissional era o FERREIRO. E ele, como atividade econômica importante, acabou simplesmente pela modernidade normal da humanidade.
    Os taxistas devem se modernizar, ou melhor; se atualizarem e se adaptarem à realidade.
    Os ferreiros tentaram impedir os automóveis, mas foram “atropelados” pela realidade.