O STF é uma vergonha e o CNJ é um ultraje

Como publicamos, se o STF tivesse negado o habeas corpus impetrado pela defesa de Lula, que tenta colocar Sergio Moro sob suspeição, a ação administrativa contra o futuro ministro da Justiça no CNJ perderia objeto.

Foi para manter o constrangimento a Moro que Gilmar Mendes pediu vista.

Pois bem, agora O Globo publica que o CNJ tem precedente jurídico para fundamentar a continuidade do processo contra Moro, embora ele tenha deixado de ser juiz.

“O desfecho ainda é incerto, mas há um precedente no CNJ desfavorável a Moro. O Conselho já deu continuidade a um procedimento aberto para averiguar a acusação de venda de decisões judiciais contra um desembargador que tinha deixado o cargo por ter se aposentado. Embora tenham motivações absolutamente diversas — Moro é alvo de procedimento por supostamente atuar de forma irregular em processos da Lava-Jato –, tanto o caso do desembargador que vendeu decisões quanto o do ex-juiz podem seguir o mesmo caminho no conselho.”

Se for considerado culpado, Moro pode tornar-se inelegível, por exemplo.

O STF é uma vergonha e o CNJ, soviete criado pelo PT, é um ultraje.

Comentários

  • Goreba -

    Coisas do "adevogado" do PT.

  • Antonio -

    Um ministro que tenha testículos de macho já teria colocado a extemporaneidade do ato versus o ingresso no executivo como motivo para nem aceitar mais essa tentativa do bandidão de instabilizar o p

  • Eliane -

    Isso é uma aberração.

Ler 184 comentários