O submundo da CPI do Petrolão

A CPI da Petrobras há meses não oferecia uma sessão interessante como a de hoje. Um dos momentos mais sui generis ocorreu quando Alberto Youssef foi questionado sobre intimidações que estaria sofrendo. Primeiro, ficou em silêncio. Mas ao ser questionado pelo deputado Celso Pansera, aliado de Eduardo Cunha, o doleiro respondeu na lata:

– É vossa excelência, é vossa excelência! Vossa excelência sabe que minhas filhas nunca foram investigadas e que elas nunca participaram de um esquema. Vossa excelência insiste em me intimidar.

Pansera, por sua vez, também alegou que se sentia ameaçado “por um bandido condenado”.

– Não tenho arma, não tenho porte, não tenho segurança, sou um cidadão. A CPI tem que tomar algum prerrogativa em defesa da minha vida.

Ninguém entendeu bem o diálogo, mas o deputado Carlos Marun sugeriu a convocação das filhas e da ex-mulher do doleiro.

– Seu Youssef, que conhece muito desse submundo, está se sentindo intimidado por muito pouca coisa.

O mundo da política virou mesmo um submundo.

Faça o primeiro comentário