O sucesso dos militares no Rio

A missão militar no Rio de Janeiro é um modelo para o Brasil.

Jair Bolsonaro nem precisa apresentar um projeto – ele já está pronto.

Leia o editorial de O Globo:

“Oito meses após a intervenção federal na segurança do Rio, os índices de criminalidade apresentam queda consistente. Segundo dados divulgados pelo ISP, em setembro houve redução nos principais indicadores de violência (…).

A letalidade violenta — que reúne os crimes de homicídio doloso, latrocínio, lesão corporal seguida de morte e mortes decorrentes de intervenção policial — caiu 13% em relação a setembro de 2017. Foram 504 vítimas, o menor índice do ano. De acordo com o ISP, esse resultado é influenciado principalmente pela significativa queda no número de homicídios dolosos (17% em relação ao mesmo período do ano passado).

O roubo de cargas também diminuiu. Foram contabilizados 577 casos em setembro, o que representa 15% a menos em relação ao mesmo período do ano passado. Foi o menor número registrado desde setembro de 2015. Os roubos de rua (10. 251), um termômetro da insegurança vivida pelos cidadãos, seguiram a mesma tendência, caindo 8% em comparação com setembro de 2017 (…).

Importante ressaltar que não houve fórmulas mágicas. O gabinete de intervenção tem feito o básico, como recompor a tropa, recuperar a frota da polícia, investir em treinamento e voltar a pagar horas extras aos policiais (…).

Considerando que o próximo presidente precisará fazer reformas constitucionais, o decreto de intervenção, que expira em dezembro deste ano, parece ter pouca chance de ser prorrogado. Mas não importa que nome se dê a essa força-tarefa. Está claro que o Rio só conseguirá reduzir seus índices de violência a partir de ações integradas com as forças federais, por meio da emissão de GLOs (Garantia da Lei e da Ordem) pelo presidente.”

Quantas histórias já esconderam de você nesta eleição? Nós vamos revelá-las AQUI

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;
Tempo de publicação: 4 minutos

200

Ler mais 78 comentários
  1. Se prisão fosse solução para criminalidade, o Brasil seria o país mais seguro do mundo. Temos uma das maiores populações carcerárias. Solução não é prisão, nem violência, é escola boa pa

  2. 17% ? Amigo isso não é NADA! estamos falando do RJ qualquer ação lá para coibir o crime reduziria em 20% – 30% porque hoje não existe policia no rj. Isso que foram gastos bilhões e 1 ano de exe

  3. A Globo – “Bairrista” como sempre.Começa a chegar o fim de ano/Carnaval e é preciso garantir a vinda de turistas ao RJ vendendo a ideia que a cidade está pacificada. Quanta hipocrisia e mediocrid

  4. O Temer, apesar de ser um péssimo, tem de ser reconhecido como alguém que tentou e conseguiu várias coisas boas: teto dos gastos, reforma trabalhista, segurança no Rio talvez para se redimir um po

    1. Concordo com você Sonia, apesar da roubalheira ele fez bastante coisa.Só ter acabado com os sindicatos já foi uma vitoria.

  5. Olha a cambada querendo pautar o governo Bolsonaro na área da segurança, qual o próximo passo, dizer que nem precisa enterrar o desarmamento? a alteração do cod penal e nem acabar com as saidinha

  6. Estamos falando do mesmo Rio de Janeiro? Pode até ter melhorado mas o crime no estado continua livre , leve e solto. A concentração de bandidos por metro quadrado só não supera a esplanada dos m

    1. O q vc esperava? Depois de décadas governado por quadrilhas,quer solução mágica Rio=paraíso? Queda de TODOS índices não diz nada p/ vc não? Vai levar mto tempo,SE continuar no caminho certo

  7. Deve-se ter alguns cuidados nessa análise. Como foi no resto do Brasil? Existe a possibilidade de um recuo estratégico por parte do crime organizado. Afinal, os Marcolas da vida ainda continuam aí.

  8. Quantos presos ?! nada, bandido evapora?! não se iludam! …o RJ continua com o marketing “espalha bandido”, que migram pra outros lugares, diferente de SP que caça, prende e condena mais criminos

  9. Mentira, cuidado com o que O GLOBO escreve, só quem sabe como está o Rio de Janeiro são os moradores, os militares estão de mãos atadas, os bandidos e as milícias fazem o que querem.

    1. É, se a infecta concorda, boa coisa não vem por aí. Um candidato dia desses dizia que ele “quer” as FFAA subordinadas … a ele !!!, estadual, mantidas no RJ. A infecta tem agenda, idem o candi

  10. Jair Bolsonaro disse que prefere que a tropa vá com todas as garantias legais, e retaguardas jurídicas, antes de entrar em qualquer operação ou intervenção. Se não for assim, nem tem graça.

  11. E nos outros estados, diminuiu também , aumentou ou piorou? Quando a análise é feita por leigos, sem critério, tem boa chance de chegar a conclusões erradas, sem relação de causa e efeito.

    1. UFA, pelomenos um comentário lúcido. O modelo não é a intervenção em si, mas o que os Governos dos Estados tem que fozer com as suas Polícias, afinal, as PM são do estado, como falou Wilson Wi

  12. Meu Deus!!!! Tomara que diminua mesmo a violência. Todos ganham. Todos. Principalmente os que se sentirao desestimulados a fazer parte do crime. Educação, segurança , saúde e emprego.

    1. Muitos inocentes são mortos todos os dias pela bandidagem. Você prefere que continue assim? O Brasil está em guerra, não comporta meias medidas!

  13. A intervenção federal do RJ nada fez pela segurança da baixada Fluminense. O batalhão da PM de Mesquita tem 500 homens para policiar Mesquita, Nilópolis e nova Iguaçu. Mais de 1 milhão de pesso

  14. o lixo de jornal petista folha de sao paulo/uol e a rede esgoto estao massificando noticias de duplo sentido negativas para BOLSONARO.. e isso todos oos dias…. fiquem atentos .. lixossssssssssss

  15. Estatística do governo aceita qq coisa. A verdade é q a bandidagem continua liderando o tráfico nos morros, fortem/armados. Enquanto ñ desarmar bandido, ñ prendê-los ou matá-los, é só maquiag

    1. Não iria funcionar nos moldes que queriam fazer. Tentem pelo menos falar a verdade. Com Mito no comando, a efetividade passará de 75%