O sucessor de Lula

Guilherme Boulos quer tomar o lugar de Lula.

Ele deve estar tão ansioso quanto O Antagonista para que a Lava Jato prenda o comandante máximo da ORCRIM.

O discurso dos dois é igual.

A Folha de S. Paulo perguntou-lhe:

“A sua prisão ocorreu em momento em que o secretário de Habitação do governo Geraldo Alckmin, Rodrigo Garcia, acusou o MTST de ter sido favorecido durante a gestão de Fernando Haddad. O ex-secretário de Haddad, o arquiteto João Sette Whitaker, também disse que há movimentos sem-teto de fachada criados por criminosos”.

Guilherme Boulos respondeu:

“Há no país um movimento de criminalização dos movimentos sociais. Há uma tentativa de desmoralizar os movimentos, [dizendo que] movimento quer favor, quer vantagem, descaracterizando a luta por direitos. Essa desmoralização prepara terreno para a criminalizarão”.

200