O Supremo no seu devido lugar

Sergio Moro decidiu aceitar o convite para ser ministro justamente para não depender das “jurisprudências” do STF.

Se o Congresso, por exemplo, decidir mudar a lei, deixando claro que “trânsito em julgado” é a sentença em segunda instância, o que é perfeitamente constitucional, caberá ao STF cumprir a legislação e ponto final.

Com um Executivo forte, transparente e legitimado pelo voto e um Legislativo honesto e cumpridor dos seus deveres, o Supremo será colocado no seu devido lugar.

Comentários

  • UBIRAJARA -

    Infelizmente não é bem assim e basta ver a Lei do voto impresso, o que foi decidido pelo Legislativo e sancionado pelo Executivo, pode não ser respeitado por esses ministros.

  • Davi -

    STF, a escória da nação.

  • Sonia -

    Acho que todos do stf tinham de se aposentar. Novas caras, nova gente nas instituições viciadas.

Ler 131 comentários