O TIO DO DELEGADO E O TRIPLEX NO GUARUJÁ

Ademir Auada, o picador de papel, era o intermediário da Mossack Fonseca com Nelsi Warken, a menina do farol, que aparece como responsável pela offshore Murray Holdings, proprietária do triplex vizinho ao de Lula no condomínio Solaris, no Guarujá.

No celular de Ademir Auada, apreendido na Triplo X, foram identificadas trocas de mensagem dele com Edson Paulo Fanton, tio do delegado Mario Renato Castanheira Fanton, que quis sabotar a Lava Jato.

Nas trocas de mensagens entre Ademir e Edson, eles tratam da abertura de contas bancárias para clientes não identificados. Ademir também troca mensagens sobre transferências bancárias com Celina Daiub, sócia de Edson Paulo Fanton.

À Lava Jato, Ademir Auada declarou que abria contas no exterior por intermédio de Edson Fanton, que possuía escritório no Shopping Morumbi.

Faça o primeiro comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.

1200