ACESSE

O traque aloprado da Folha de S. Verdevaldo

Telegram

A Folha de S. Verdevaldo acusou Sergio Moro de interferir no acordo com os delatores da Camargo Corrêa.

Mas não encontrou uma única mensagem dele sobre o assunto.

É preciso explicar a manobra.

A reportagem reproduziu uma conversa de fevereiro de 2015 (a Lava Jato estava no comecinho).

Deltan Dallagnol enviou uma mensagem de trabalho a Carlos Fernando dos Santos Lima. Ele temia que os acordos negociados pela Lava Jato – todos os acordos – fossem considerados vantajosos demais para os delatores.

Carlos Fernando dos Santos Lima respondeu:

“Não sei fazer negociação como se fosse um turco. Isso até é contrário à boa-fé que entendo um negociador deve ter. E é bom lembrar que bons resultados para os advogados são importantes para que sejam trazidos novos colaboradores. Eu desejo que sejam estabelecidas pautas razoáveis, e que eu e Januário possamos trabalhar com mais liberdade. Os últimos acordos que fizemos foi por exclusiva vontade minha. E não vejo a reclamação generalizada contra eles. Muito pelo contrário.”

Deltan Dallagnol sugeriu então que Carlos Fernando dos Santos Lima aproveitasse uma reunião marcada com Sergio Moro para sondá-lo sobre o tema:

“Carlos Vc quer fazer os acordos da Camargo mesmo com pena de que o Moro discorde? Acho perigoso pro relacionamento fazer sem ir FALAR com ele, o que não significa que seguiremos. Podemos até fazer fora do que ele colocou (quer que todos tenham pena de prisão de um ano), mas tem que falar com ele sob pena de ele dizer que ignoramos o que ele disse. Vc pode até dizer que ouve e considera, mas conveniência é nossa e ele fica à vontade pra não homologar, se quiser chegar a esse ponto. Minha sugestão é apenas falar.”

Segundo a Folha de S. Verdevaldo, a frase incriminada é: “quer que todos tenham pena de prisão de um ano”. Mas qualquer idiota é capaz de entender que Deltan Dalagnol não estava se referindo à Camargo Corrêa, e sim aos delatores em geral. De fato, Sergio Moro sempre foi duro com os criminosos e exigiu que eles cumprissem pena, mesmo os delatores.

Não é só isso.

A conversa entre os procuradores ocorreu antes da reunião com Sergio Moro – portanto, é claro que a frase incriminada não dizia respeito à Camargo Corrêa.

Ninguém pode excluir, por exemplo, que tenha sido apenas uma tentativa de Deltan Dallagnol para convencer Carlos Fernando dos Santos Lima a negociar o aumento da pena dos delatores, para satisfazer o juiz e, provavelmente, a opinião pública.

O fato é que acusar Sergio Moro de ter cometido uma ilegalidade sem que haja uma única palavra dele é uma verdadeira delinquência.

Como transformar criminosos em vítimas e agentes da lei em criminosos Leia mais

Comentários

  • Thiago -

    Verdevaldo e Toffoli não sabem a hora de parar, ou seja, precisamos ajudá-los!!!

  • Glaucio -

    Para o$ jornaleiro$ da Foice de $ão Paulo, a verdade não pa$$a de um mero detalhe.

  • ADONIS -

    A Folha está sendo punida pelo ativismo em favor dos criminosos. Agora oferece assinatura gratuita para conter a debandada de leitores. Ótimo sinal pois até mesmo os ingênuos tem algum senso crítico.

Ler 43 comentários