O TSE na sarjeta

A enteada de Admar Gonzaga, em depoimento à polícia, disse que o padrasto usou seu status de ministro do TSE para subjugar sua mãe.

Leia um trecho da reportagem do Estadão:

A mulher de Admar registrou um boletim de ocorrência contra o ministro do TSE na sexta-feira, 23, por injúria e lesão corporal – violência doméstica. Exibindo um ferimento no olho, ela relatou ter sido agredida física e verbalmente por Admar.

Erica Matos, a enteada de Admar, afirmou que mora com a mãe e o padrasto. “Informa que não presenciou as agressões físicas, contudo ouviu os gritos do autor que falava em voz alta. Salienta que ouviu as agressões verbais perpetradas pela autor, que dizia: ‘puta’, ‘vagabunda’, ‘eu quero que todos vejam a pessoa com quem convivo’, ‘escrota’, ‘quero que você saia de casa para eu te ver na sarjeta’. Destaca que o autor é uma pessoa contraladora e que usa do seu status de ministro para subjugar a vitima que é dona de casa. Salienta que o autor é bastante ciumento e que nunca permitiu que a vitima estudasse”.

O Antagonista não sabe se isso é verdade. A única certeza que temos é que o TSE subjugou o Brasil.

Faça o primeiro comentário