O vale-tudo de Baiano

O STF negou a liberdade a Fernando Baiano, operador do PMDB no Petrolão, aceitando os argumentos do juiz Sergio Moro de que a prisão preventiva de Fernando Baiano é uma garantia da ordem pública e obedece à conveniência da instrução criminal.

O detalhe pitoresco: em documento enviado ao juiz Sergio Moro, a defesa de Fernando Baiano, denunciado hoje pelo Ministério Público, juntamente com Nestor Cerveró, comparou a situação do cliente à de presos pela Inquisição, na Idade Média, e atacou o juiz, acusando-o de promover “terror penal”.

Fernando Baiano na

fogueira da Inquisição

Faça o primeiro comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.

1200