O voo suspeito do empresário que fugiu do tiroteio em Juiz de Fora

O empresário Flávio Guimarães, apontado como portador dos milhões de dólares que seriam trocados por reais em Juiz de Fora, fugiu para São Paulo a bordo do Cessna Gran Caravan, prefixo PT-MED, da Two Flex táxi aéreo.

A Polícia sabe que a Two Flex (ex-Flex Aero) pertence a Rui Aquino, que foi acusado na Lava Jato de usar a Flex Aero para lavar a propina de José Dirceu na forma de voos particulares.

Nos últimos anos, a Two Flex se beneficiou de um contrato milionário com o governo de Fernando Pimentel, que subsidiava voos da empresa entre 16 cidades de Minas Gerais.

Abaixo, a lista de passageiros obtida com exclusividade por O Antagonista. Confira também o que publicamos ontem sobre o tema.

 

 

Comentários

  • May -

    Tudo muito estranho, e tudo isso gira em torno de Jose Dirceu (q está solto), gira em torno de MG governada atualmente por um PTista e gira em torno do lugar onde Bolsonaro foi esfaqueado. AÍ TEM!!

  • Tania -

    Haddad , em três dias, tem 51% dos votos de São Paulo? É a mesma São Paulo que domingo passado tinha um milhão de pessoas de verde/amarelo na Av. Paulista? Que varreu o PT no primeiro turno?Enten

  • Luciano -

    Chegou no PT. Tava na cara. Mas, e Adelio, o assassino frustrado de Bolsonaro? Ninguém chega a nada?

Ler 125 comentários