A OAS pagou R$ 125 milhões em propinas a 21 políticos

A OAS distribuiu entre 2010 e 2014 cerca de 125 milhões de reais em propinas e repasses de caixa dois a pelo menos 21 políticos de oito partidos.

O Globo teve acesso a um relatório de 73 páginas da PGR em que Raquel Dodge resume os relatos dos ex-executivos, contidos em 217 depoimentos.

Seu patrimônio e sua aposentadoria estão ameaçados. SAIBA MAIS AQUI

Temas relacionados:

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;
Tempo de publicação: 4 minutos

200

  1. Pedro disse:

    A OAS não forneceu o valor da reforma que fez na casa do totó Foli?

Ler comentários
  1. Noely disse:

    Pra que continuar com aquele Circo que derrete a nossa grana suada , para apenas bla, bla e enriquecer, chega de nós bangarmos os palhaços amestrados para um Congresso inviável.

  2. marcelo disse:

    Essas delações sem provas não servem para nada! Serve apenas para deixar o empresário corrupto solto ou em prisão domiciliar!.

  3. Francisco disse:

    Mais vazamentos($$$$) para a Globo? Estão procurando algo contra o governo e só encontram aqueles mesmos velhos conhecidos e amigos deles.

  4. Marco disse:

    Dissolver o $TF com um soldado e um cabo

  5. Má. disse:

    Pra variar a pgr ou o stf vão arquivar por excessos d provas. O crime sempre compensa

    1. e que diferença faria? ja vamos entregar a previdencia para os bancos e ja anistia esses caras tbm....

  6. Roberto disse:

    E a Listagem com os nomes, Antagonista? Parecendo o antigo Jornal Última Hora. Somente a manchete.

  7. Daniel disse:

    ele devolveu o dinheiro, burro, isso aí é mentira que vcs petistas inventam

  8. MARRETA disse:

    Não precimos mais de politicus pra governar este País... mas sim de gente com ética -caráter e honradez.... Hora de fechar esta espelunca.

  9. EDUARDO disse:

    Alguém imagina que um político que receba dinheiro de qualquer empresa vai repassar para o partido? Gastar na campanha? O cara bota a mão na grana e gasta tudo no interesse particular. Óbvio.