OAS pagou Trombeta em offshore da Mossack

Como O Antagonista antecipou, três operadores da Lava Jato ligados a José Dirceu (Pedro Barusco, Mário Góes e Renato Duque) operavam offshores abertas pela Mossack Fonseca. Um quarto operador, Roberto Trombeta, ligado à OAS, também.

Trombeta utilizou os serviços da MF para a constituição de oito off-shores: 5 Star Team Inc, Balcano, Eternal Legend Corp, Kadney Holdings, Kingsfield Consulting Corp, Olympia Capital Ltd, Ontec Holding Inc, Redland Developments Inc.

Roberto Trombeta confirmou, em depoimento prestado em acordo de colaboração, a utilização de pelo menos uma delas, a Kingsfield, para o recebimento de valores da empreiteira OAS decorrentes de contratos por obras no exterior e envolvendo as subsidiárias da OAS no Peru e no Equador.

QUE inicialmente foi procurado pela OAS através da sua empresa Hedge Consultoria e apresentado a dois consultores uruguaios de nome Fernando Belhote Marcelo Chakiyan ambos da empresa BGL Asesores Legales e Fiscales,com endereço na Avenida Rivera, 6329, Montevideo – Uruguai; QUE estes consultores juntamente com profissionais da OAS apresentaram algumas estruturas de trabalho para fins de retirar recursos das subsidiárias da OAS noPERU e EQUADOR, QUE para tanto o declarante foi contratado para assumir o controle acionário de uma sociedade panamenha denominada KINGSFIELD CONSULTING CORP que foi usada como canal de recebimentos de valores decorrentes do trabalho efetuado no Chile e na Espanha envolvendo as subsidiárias da OAS no PERU e EQUADOR; QUE o declarante ressalta que após assumir o controle acionário da sociedade panamenha KINGSFIELD CONSULTING CORP, declarou a mesma em seus respectivos imposto de renda informando dessa forma as autoridades fiscais do Brasil; QUE no trabalho desenvolvido envolvendo a OAS PERU esta companhia contratou serviços fictícios de consultoria técnica com uma empresa sediada no Chile, especificamente a sociedade chilena CONSTRUCTORA ANDREU LIMITADA; QUE o valor contratado foi de US$ 6.150.000,00 que foram pagos em conta desta sociedade Chilena; QUE posteriormente esta sociedade chilena transferiu esses recursos a uma sociedade espanhola denominada DSC WORKSHOP OBRAS CONSTRUCCIONES E PROMOCIONES S.L, que recebeu da sociedade chilena a importância de US$ 5.996.250,00; QUE o total de recursos ainda transitaram por contas de sociedades Holandesas até chegar à conta da KINGSFIELD CONSULTING CORP, em conta bancária no Banco BPA com sede em Andorra que recebeu um total de US$ 5.760.250,00 depositados em 3 etapas nos dias 08/11/2012, 10/001/2013 e 12/02/2013“.

Roberto Trombeta admitiu, ainda, quedos recursos aportados na Kingsfield Consulting Corp, cerca de US$ 8 milhões foram repassados por ordem da OAS para conta indicada por Alberto Youssef na Suíça:

“Que no trabalho desenvolvido envolvendo a OAS EQUADOR, esta companhia contratou serviços técnicos fictícios de Engenharia Consultiva de consultoria técnica com uma empresa sediada na Espanha, especificamente a sociedade DSC WORKSHOP OBRAS CONSTRUCCIONES E PROMOCIONES S.L.; Que o valor contratado foi de aproximadamente US$ 9.150.000,00 que foram pagos em conta desta sociedade Espanhola e que posteriormente esta sociedade espanhola transferiu esses recursos para sociedades Holandesas até chegar à conta da KINGSFIELD CONSULTING CORP, em conta bancária no Banco BPA com sede em Andorra que recebeu um total de US$ 8.622.671,51 depositados em 3 etapas nos dias 13/09/2012, 04/10/2012 e 30/10/2012; Que do total de recursos recebidos pela KINGSFIELD CONSULTING CORP no banco de Andorra (US$ 14.618.921,51) a sociedade KINGSFIELD CONSULTING CORP depositou por ordem da OAS a importância aproximada de US$ 8.000.000,00 em conta indicada pelo Sr. Alberto Youssef na Suíça; Que o saldo restante hoje atualmente de aproximadamente US$ 7.000.000,00 permanece em conta no Banco de Andorra e foi objeto de honorários do declarante pelos serviços prestados pelo mesmo e por futuros outros serviços que deveriam ser prestados em outros países para o Grupo OAS”.

Faça o primeiro comentário