OAS: suspensão provisória

O Antagonista apurou que a suspensão do acordo de delação premiada com a OAS será “provisória”. Rodrigo Janot vai esperar baixar a poeira para reconsiderar o benefício.

Janot foi cobrado por ministros do STF, especialmente o relator Teori Zavascki, pelas menções a Dias Toffoli – reproduzidas pela Veja. Fontes do Supremo alegam que “não se pode encurralar um integrante da Corte com base em ilações”.

O recado é claro: a delação só segue adiante sem citações ao STF.