Odebrecht e Andrade Gutierrez na Lava Jato

O PT recebeu 60 milhões de reais de Mario Goes. É o que mostra a planilha de Pedro Barusco.

Mario Goes operou para algumas das maiores empreiteiras denunciadas pela Lava Jato: da Mendes Júnior à Carioca, da OAS à UTC. Analisando os documentos apreendidos em seus escritórios, a PF associou-o também à propina paga pela Andrade Gutierrez e Odebrecht. Como disse a reportagem da Folha de S. Paulo, “os documentos são os primeiros apontados pelo Ministério Público como evidência de que a Andrade Gutierrez e a Odebrecht também participaram do esquema de corrupção”.

Um exemplo: em maio de 2008, a Andrade Gutierrez assinou com a Riomarine, a empresa de Mario Goes, um contrato de assessoria e consultoria, supostamente fraudulento, no valor de R$ 4,4 milhões. Nos dois meses seguintes, a Petrobras fechou contratos com a Andrade Gutierrez que renderam ao PT, segundo Pedro Barusco, R$ 4,6 milhões em propinas, pagos por Mario Goes.

Para o Ministério Público, as evidências indicam “de forma contundente” que Mario Goes utilizava a empresa Riomarine para viabilizar o repasse de propina: “Nenhuma das provas obtidas no curso da Lava Jato indicam a possibilidade de que a Riomarine efetivamente desempenhe ou mesmo tenha capacidade para desempenhar os serviços de consultoria e assessoria”.