ODEBRECHT X OAS: SÓ HÁ ESPAÇO PARA UMA?

Em abril, o procurador Carlos Fernando dos Santos Lima, um dos coordenadores da força-tarefa da Lava Jato, disse que só haveria espaço para a delação de apenas mais uma empreiteira.

A escolha entre OAS e Odebrecht dependeria do andamento de cada negociação e, especialmente, do conteúdo.

Como O Antagonista noticiou com exclusividade, a defesa da OAS conseguiu ser mais rápida que a concorrente e assinou, na quinta-feira passada, o termo de confidencialidade.

Havia semanas, a OAS pressionava pelo acordo.

Curiosamente, a Veja publicou no dia seguinte a reportagem de capa que levaria Rodrigo Janot a suspender as negociações com a OAS, anulando os efeitos do termo assinado.

Não é preciso ser um gênio para entender que a Odebrecht é a maior beneficiária dessa decisão. Resta saber quem plantou a notícia.

Faça o primeiro comentário