Olavo: "Lula não é propriamente um líder, ele é um símbolo construído pelos outros"

Mais um trecho sobre Lula da entrevista de Olavo de Carvalho a Felipe Moura Brasil para O Antagonista:

FMB: Você faz até um contraste – que eu incluí no livro “O mínimo que você precisa saber para não ser um idiota” (páginas 86 e 87) – entre o Lula e o filósofo alemão radicado nos EUA Eric Voegelin…

OLAVO DE CARVALHO: O Eric Voegelin ficou rico depois de velho, depois dos 70 anos é que ele descobriu um negócio de investimento e ganhou muito dinheiro. Depois dos 70! Ele nunca teve dinheiro na vida. Ele saiu da maior pobreza na Alemanha e ainda saiu fugido! Ele estava saindo pela porta dos fundos enquanto a Gestapo [a “polícia secreta do Estado”] estava entrando pela porta da frente. Chegou aos Estados Unidos com uma mão na frente, outra atrás. E fez a sua longa carreira de estudos, nunca procurou publicidade, nunca procurou ser o gostosão e se afirmou apenas pela sua obra científica, que é uma coisa maravilhosa. Então, contrastando essas carreiras, você vê o exemplo e o anti-exemplo.

Mas você nem precisa procurar o Eric Voegelin. Você veja a história de Machado de Assis, do Lima Barreto, de Castro Alves, de Gonçalves Dias, de Capistrano de Abreu, é tudo gente que veio de baixo. Pessoas que vieram de camadas ricas no Brasil e deram contribuições culturais importantes são pouquíssimas: Joaquim Nabuco, Oliveira Lima, o próprio Gilberto Freire… Existem também, mas a maioria – vamos dizer, 90% – é gente pobre, que estudou às vezes sozinha com grandes esforços e construiu a cultura brasileira.

Agora, o Lula é a desconstrução, ele é o anti-exemplo total: ‘Eu que subi aqui, sem aprender coisa nenhuma’… O Lula não é um ‘self-made man’ [homem feito por si mesmo], ele foi inteiramente feito pelos outros: feito pelo partido, feito pelos bancos, feito pela mídia. Ele não tem mérito nenhum nesta coisa. Ele não é propriamente um líder, ele é um símbolo construído pelos outros. Tanto que para derrubá-lo foi a coisa mais fácil. O homem era um ídolo nacional e, do dia para a noite, ele virou um lixo, todo mundo quer vê-lo na cadeia. Uma reputação sólida não cai assim tão facilmente.