ACESSE

Onyx e Eduardo Bolsonaro defendem porte de armas por agentes de segurança em aviões

Telegram

Onyx Lorenzoni e Eduardo Bolsonaro querem flexibilizar o porte de arma em aviões.

Eles tentam suspender uma resolução da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) que determina que só podem entrar armados em aeronaves os agentes públicos que comprovem estar realizando escolta de autoridades, testemunhas e passageiros em custódia, informa O Globo.

A Anac defende que as normas aumentam a segurança a bordo de aeronaves, mas o deputado Onyx, exonerado temporariamente do cargo de ministro-chefe da Casa Civil, reapresentou proposta de decreto legislativo, feita em coautoria com Eduardo, contra a determinação.

Para ambos, as normas estabelecidas “dificultariam sobremaneira o trabalho de agentes de segurança, criando barreiras desnecessárias e até abusivas”. Eles também afirmam que a agência extrapolou suas prerrogativas ao legislar sobre esse assunto e argumentam que é dever do Ministério da Justiça e do Exército regulamentar o transporte de armamentos.

“A portaria [da Anac] retira um mecanismo de segurança importante para a aviação civil, que é o policial armado dentro do avião. Ele é treinado e preparado para isso”, escreveu Onyx em 2018 em rede social.

O FIM DOS AMIGOS DA ONÇA NO PLANALTO. LEIA AQUI

Comentários

  • Presidente-XVII -

    Tá certo o Eduardo Bolsonaro e o ministro.

  • Chris -

    Dois irrresponsaveis. Atualmente no Brasil, o único lugar onde se tem certeza de que nao será vítima de bala perdida é dentro de um avião. O Brasil tem coisas mais urgentes como a reforma previde

  • Newton -

    O disparo não tem como ocorrer porque o portador da arma é treinado para o uso e a arma fica descarregada. É mais fácil derrubarem um avião a tiros de fuzil no Rio.

Ler 55 comentários