Operação Caixa 3: prejuízo ainda incalculável

A Controladoria-Geral da União informou que ainda não é possível estimar o prejuízo aos cofres públicos provocado pela gestão fraudulenta em operações de crédito firmadas entre o Banco do Nordeste do Brasil e o Grupo Petrópolis.

A Operação Caixa 3, deflagrada hoje, certamente contribuirá para “a obtenção de provas sobre a ocorrência de má-fé e dolo, por parte de empregados do BNB, na concessão e acompanhamento dos financiamentos investigados”, destacou a CGU.

Também em nota, a Controladoria deixou claro que a investigação apura “a ocorrência de desvio dos recursos obtidos pelo grupo empresarial para pagamento de despesas de campanhas eleitorais”.

Os leitores de O Antagonista conhecem essa história.

Reprodução/Youtube

Mais notícias
TOPO