ACESSE

Nos estritos limites da lei

Telegram

Em nota divulgada, o Ministério Público de São Paulo afirmou hoje que a operação que levou à prisão de Fabrício Queiroz, na última quinta-feira, ocorreu “nos estritos limites da lei”.

“Filmada, a ação dos promotores e dos policiais contou com o acompanhamento de três representantes da Ordem dos Advogados do Brasil, observando-se, assim, todas as formalidades legais”, diz a nota assinada por Mário Sarrubo, procurador-geral de Justiça.

“Não cabe ao MPSP tecer qualquer tipo de comentário acerca das declarações de investigados ou de seus defensores, sejam eles constituídos ou não.”

Leia mais: Exclusivo: as provas contra Queiroz. Clique e leia mais

Comentários

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 47 comentários