ACESSE

Operador detalha propina de 17 milhões para Sérgio Cabral

Telegram

Carlos Miranda, apontado como operador de Sérgio Cabral, falou de novo à Justiça Federal do Rio e detalhou a distribuição de propina do Departamento de Estradas de Rodagem do estado para o ex-governador, registra o G1.

Segundo a acusação do MPF, foram R$ 17,5 milhões pagos a Cabral e outros R$ 17,5 milhões para Henrique Santos Ribeiro, ex-presidente do DER-RJ.

Miranda, que fechou delação premiada, disse que recebia a propina a cada 40 ou 45 dias, de acordo com os pagamentos feitos pelo estado às empresas.

Cabral, preso desde novembro de 2016, vem negando as acusações.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 8 comentários