Operador detalha propina de 17 milhões para Sérgio Cabral

Carlos Miranda, apontado como operador de Sérgio Cabral, falou de novo à Justiça Federal do Rio e detalhou a distribuição de propina do Departamento de Estradas de Rodagem do estado para o ex-governador, registra o G1.

Segundo a acusação do MPF, foram R$ 17,5 milhões pagos a Cabral e outros R$ 17,5 milhões para Henrique Santos Ribeiro, ex-presidente do DER-RJ.

Miranda, que fechou delação premiada, disse que recebia a propina a cada 40 ou 45 dias, de acordo com os pagamentos feitos pelo estado às empresas.

Cabral, preso desde novembro de 2016, vem negando as acusações.

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;
Tempo de publicação: 4 minutos

200

Ler mais 7 comentários
  1. Eu também sou Cabral. Jamais pensei que a minha NOBRE família de PORTUGAL produziria um TIO Cabral tão diabolicamente LADRÃO, HOMICIDA DE CRIANÇAS E VELHINHOS E JOVENS……… Só há uma forma de fazer justiça: TORTURÁ-LO ATÉ A MORTE PARA QUE ELE DEVOLVA TUDO O QUE AINDA É POSSÍVEL RESGATAR DOS BILHÕES ROUBADOS DO POVO POPULAR DO BRASIL……….

  2. Esse Cabral pelo jeito tirava de um bolso, colocava no outro, roubava a si mesmo pra não perder a prática. Sujeito LADRÃO! Mas a “cabeça pensante” do assalto é a mulher. Quando vai ser presa? Eu hein!

  3. Aqui no Rio há uma versão moderna da “caça ao tesouro”: onde está enterrado o baú (ou baús) do Cabral&caterva? Há uma busca frenética por apartamentos ou salas comerciais suspeitas. Tb busca-se por possíveis depósitos de diamante. Imaginem a fortuna que está por aí. Quem achar o baú arrumará a situação até a sua 100a. geração.

  4. Olha, pelo andar da carruagem Cabral roubou em todas as pontas. Não duvido, até, que essa sua devoção pela mão boba não o tenha instigado a roubar de si próprio. É estupefaciente!