Operário padrão

Telegram

Lula, o lobista da Odebrecht, foi grampeado pela PF enquanto conversava com Alexandrino Alencar, o executivo da empreiteira que pagava suas viagens, suas palestras e suas despesas.

Ele disse que estava preocupado com “assuntos do BNDES”.

Isso ocorreu em 15 de junho, quatro dias antes da prisão de Alexandrino Alencar.

O telefonema se deu, segundo o relatório policial, às 20:06, porque o lobista da Odebrecht trabalha em tempo integral para a empresa.