Oracle na Lava Jato

A Oracle pagou propina para o esquema de José Dirceu.

Segundo o Estadão, os repasses foram revelados à Lava Jato por dois sócios da empresa Ação Informática. Eles disseram ter vendido um software para o Banco do Brasil depois de pagarem 4,9 milhões de reais à Credencial Construtora, empresa de fachada investigada em Curitiba.

Um dos acusadores disse “que foi procurado para participar da licitação pelo vice-presidente da Oracle, Geraldo Trigueiro”.

Ele disse também que “a Oracle faria as mudanças necessárias para se adaptar ao edital de licitação do Banco do Brasil”.