ORCRIM “tem o direito de mudar tudo o que quiser”

Rodrigo Maia defendeu o direito da ORCRIM de corromper as 10 medidas e anistiar o crime de caixa dois:

“Ninguém tem a primazia de um texto, um texto perfeito. O Poder Legislativo tem direito de mudar tudo que quiser”.

Ele defendeu também que o Congresso Nacional tem o direito de aprovar o golpe anonimamente, com um voto simbólico:

“Se for simbólico ou nominal, não é o problema. O importante é votar na comissão e cada líder e partido assumem a responsabilidade sobre o texto que está aprovando”.

Faça o primeiro comentário