Orlando Diniz acredita que foi investigado por amigo de Wassef

Orlando Diniz acredita que foi investigado por amigo de Wassef

Em 18 de setembro, o delator Orlando Diniz prestou um depoimento à Lava Jato e deu mais detalhes de sua relação com o advogado Frederick Wassef e outros defensores contratados em sua gestão como presidente da Fecomércio, diz a Crusoé.

Diniz disse acreditar que estava sendo investigado por Ivan Guimarães — parceiro de Delúbio Soares na época do governo petista e que indicou os serviços de Wassef para a Fecomércio.

O delator relatou ter estranhado a insistência de Guimarães em perguntas sobre o filho do ministro Humberto Martins, o advogado Eduardo Martins.

“Queria saber se Eduardo, que tinha fechado contrato vultuoso com a Fecomércio, havia devolvido para ele, Diniz, uma parte do valor que recebera. Como mostrou Crusoé, o ex-presidente da Fecomércio apontou Diogo Gaia Duarte como o intermediário dos 2 milhões de reais que Martins devolveu em dinheiro vivo.”

Leia aqui a reportagem de Fabio Serapião.

Leia mais: OS ENCONTROS SECRETOS DE BOLSONARO COM O 'ANJO'
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 8 comentários
TOPO