Orlando Diniz diz que Sesc mantinha armário para currículos de indicados políticos

Em seu acordo de delação, Orlando Diniz, ex-presidente da Fecomércio do Rio de Janeiro, disse que era pressionado para empregar pessoas indicadas por políticos, diretores, conselheiros e até presidentes de sindicatos.

Entre os políticos que emplacaram indicações na Fecomércio, no Sesc e no Senac, Diniz cita o ex-senador Francisco Dornelles e o ex-deputado Simão Sessim, além do ex-governador Sérgio Cabral.

O ex-presidente da Fecomércio disse ainda que o Sesc mantinha um armário apenas para armazenar currículo de indicados.

“Orlando encontrou no Sesc o que não havia encontrado no Senac e na Fecomércio: um grande número de funcionários indicados. Havia até um armário só para currículos”, diz trecho da delação.

Leia aqui a reportagem completa.

Leia mais: Combo Crusoé e O Antagonista+: comece a ler por apenas R$ 1,90
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 13 comentários
TOPO