Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

Os 5 núcleos das fraudes do BNDES

O relatório da CPI do BNDES separou os agentes responsáveis pelas fraudes no BNDES em cinco núcleos: político, externo, estratégico, econômico e operacional.

O núcleo político era composto por Dilma, Lula e “ministros que atuaram como seus prepostos”. Eles foram os responsáveis por articular com os membros do núcleo externo a viabilização de grandes obras de engenharia no exterior ou operações de apoio da JBS e “remover obstáculos de natureza técnica que eventualmente dificultasse” os pedidos de financiamentos do BNDES.

O núcleo externo era constituído por chefes de governos de países ideologicamente afinados com o PT, “a exemplo de Cuba, Venezuela, Angola, Moçambique, Argentina e Equador”. Segundo o relatório, eles alimentavam, em troca de propina, “o suposto esquema criminoso com o oferecimento de grandes obras e serviços de engenharia em seus países”.

O núcleo estratégico era formado por agentes públicos e políticos que ocupavam posições de destaque em “instâncias decisórias importantes dentro do contexto investigativo”. Incluem-se membros da Câmara de Comércio Exterior (CAMEX), do Comitê de Financiamento e Garantias de Exportações (COFIG), da Seguradora Brasileira de Crédito à Exportação (SBCE), da Agência Brasileira Gestora de Fundos Garantidores e Garantias S.A. (ABGF) e do Ministério da Fazenda (SAIN e STN).

O núcleo econômico era composto por grandes empresas brasileiras interessadas em executar obras e projetos de engenharia no exterior que, mediante pagamento de propina, firmavam grandes contratos. Odebrecht e JBS são os principais agentes.

O núcleo operacional era formado por agentes públicos e políticos que atuaram para interferir no atendimento e andamento dos pleitos de financiamento ou de aporte de capital dentro do BNDES. Ele solucionavam possíveis entraves técnicos para facilitar a aprovação dos financiamentos.

O pedido de indiciamento das mais de 70 pessoas envolvidas nas fraudes foi feito com a identificação do núcleo a que cada denunciado pertencia. Confira AQUI.

Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO