Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

Os amplos poderes de Frederick Wassef

Jair Bolsonaro passou procuração ao advogado, que abrigou Fabrício Queiroz, para representá-lo em juízo ou fora dele. Presidente quer destravar caso Adélio
Os amplos poderes de Frederick Wassef
Reprodução

Jair Bolsonaro assinou procuração dando amplos poderes para o advogado Frederick Wassef, aquele que escondeu Fabrício Queiroz num sítio em Atibaia. O documento, obtido pela CNN, foi assinado pelo presidente no dia 6 de maio. Nele, consta o endereço do sítio de Wassef onde Queiroz foi preso em 18 de junho de 2020.

No documento, consta que Bolsonaro confere a Wassef amplos poderes para o foro em geral à defesa de seus direitos e interesses para representar o outorgante (Bolsonaro) em juízo ou fora dele em que for autor, réu, assistente, ou oponente, podendo propor contra quem de direito as ações competentes e defendê-la nas contrárias seguindo umas e outras até final decisão”.

A procuração diz ainda que Wassef poderá, em nome do presidente, “transigir, negociar, reconvir, concordar, discordar, ratificar, firmar compromissos ou acordos, receber e dar quitação, desistir, acompanhar quaisquer processos em todos os termos ou instâncias, representar (o presidente) perante qualquer repartição, autarquia ou órgão federal, estadual ou municipal”.

A procuração diz que esses poderes são concedidos “em especial” num mandado de segurança da OAB de Minas Gerais em favor do advogado Zanone Manuel de Oliveira Júnior, que defendeu Adélio Bispo, autor da facada contra Bolsonaro durante a campanha.

A ação da OAB pede a anulação de uma decisão que havia autorizado a quebra do sigilo bancário e a apreensão do seu celular de Zanone.

Leia mais: Assine a Crusoé e apoie o jornalismo independente.
Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO