Os argumentos de Lula

“Desde que o sítio em Atibaia e o triplex no Guarujá passaram a atormentar Lula”, diz a Folha de S. Paulo, “aliados e militantes de esquerda se perguntam quando o ex-presidente falará. Querem que ele una a tropa, ditando o argumento para sua defesa nas ruas.

Mas amigos aconselham o petista a só se posicionar publicamente depois que Fernando Bittar e Jonas Suassuna, donos do terreno em Atibaia, derem suas explicações. Qualquer declaração divergente pode servir para desgastá-lo ainda mais”.

Em primeiro lugar, aliados e militantes de esquerda nunca precisaram de argumentos para defender Lula nas ruas.

Em segundo lugar, qualquer argumento será desmentido pela Lava Jato. Por isso mesmo, a única saída para Lula é jogar a culpa em dois bodes expiatórios: Fernando Bittar e Jonas Suassuna.

Se tudo der errado, ele pode jogar a culpa num terceiro bode expiatório: Lulinha.