Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

Os compromissos do novo presidente do Banco do Brasil

Os compromissos do novo presidente do Banco do Brasil
Foto: Banco do Brasil/Divulgação

Fausto de Andrade Ribeiro, novo presidente do Banco do Brasil, enviou hoje uma carta aos funcionários da instituição.

No texto obtido por O Antagonista, ele diz que terá o compromisso de conduzir o banco “oferecendo retornos adequados aos nossos acionistas, atuando de forma integrada e sinérgica com as diretrizes do seu controlador, o Governo Federal, e contribuindo para o desenvolvimento do País”.

Ele promete respeito ao “nosso Estatuto, à nossa sólida governança corporativa, às boas práticas de mercado e seguidores dos rigores de nossas leis”.

O novo presidente admite os atuais desafios do mercado e estabeleceu como compromissos, por exemplo, “acelerar a transformação digital e a inovação, para entregar a melhor experiência aos nossos clientes”. Ele falou, ainda, em “compromisso integral com a austeridade e a eficiência na gestão de despesas e investimentos” e em “realizar desinvestimentos e reorganização societária em negócios com baixa complementariedade”.

Fausto de Andrade Ribeiro disse também que “vamos manter as atuais regras de trabalho à distância durante a pandemia”.

Eis a íntegra:

“Caros colegas,

Minha formação profissional e meu caráter foram moldados no BB. Desde os primeiros anos da minha vida fui envolvido pela ética, honestidade e rigor técnico desta Instituição.

Meu pai, Vilmar Valim, funcionário aposentado do Banco, é minha referência de profissionalismo, postura ética e compromisso com o Banco do Brasil, assim como os colegas e chefes com os quais reforcei meus conhecimentos técnicos e a cultura BB.

Aproveito esse momento para agradecer à minha querida mãe, Sonia Carolina, fundamental para a minha compreensão da vida, do respeito humano e para o meu desenvolvimento profissional, e à minha esposa, Camila, que é o meu alicerce e fonte de apoio incondicional.

Muito me orgulho de minha trajetória profissional em 33 anos no Banco do Brasil, construída dia a dia. Tomei posse numa agência em Planaltina (Goiás), juntamente com meu irmão gêmeo, Flávio Ribeiro, e ao longo da minha carreira assumi cargos de muita complexidade e responsabilidade.

O Banco do Brasil, portanto, me propiciou viver e vivenciar experiências únicas, pelos mais diferentes cenários, muitos deles com desafios que a vida na Organização me colocou, no Brasil e no exterior.

Lembro do ensinamento de um ex-presidente também funcionário desta casa, que muito fez pelo Banco: “fazer parte do corpo técnico do BB é muito maior que uma opção profissional, é uma decisão de vida”. E é assim que penso.

O nosso compromisso

Tenho consciência de que esta grande Instituição, patrimônio de todos os brasileiros, com 212 anos de atuação, está diante de enormes desafios. Por isso, junto com todos os colegas do BB, tenho o compromisso de conduzir a Empresa no cumprimento de sua missão, oferecendo retornos adequados aos nossos acionistas, atuando de forma integrada e sinérgica com as diretrizes do seu controlador, o Governo Federal, e contribuindo para o desenvolvimento do País. É nessa caminhada que seguiremos todos, respeitando nosso Estatuto, nossa sólida governança corporativa, as boas práticas de mercado e seguidores dos rigores de nossas leis.

O Banco do Brasil é de mercado e é do Brasil !

É DE MERCADO, está listado em Bolsa, tem que ser lucrativo, competitivo e eficiente ao atender mais de 65 milhões de clientes no Brasil e no Exterior; e

É DO BRASIL, porque cada brasileiro é um sócio desse Banco, que nos faz ser historicamente compromissados com o desenvolvimento econômico e social do País.

É dessa união que surge nossa IDENTIDADE ÚNICA e de onde vem nossa força.

Será fundamental cuidar do compromisso do Banco do Brasil com milhões de clientes pessoas físicas e jurídicas, bem como junto aos nossos acionistas, de todas as partes do País e do exterior, que confiam recursos e investimentos na força, na criatividade e capacidade de geração de valor desta Empresa.

Foi assim que o Banco do Brasil, desde sempre, ajudou a escrever a história do crescimento do Brasil em mais de dois séculos. É a única Instituição nacional que passou por todos os períodos da história, desde o Império, enfrentando e superando crises, com tenacidade e resiliência, alicerçada na força da marca, de sua reputação e na capacidade de inovar, para competir no mercado e merecer o respeito de milhões de brasileiros.

O ambiente é desafiador

A indústria bancária vive tempos de desafios de diversas naturezas, tanto na estratégia de compartilhamento de mercado, com novos agentes altamente competitivos, como na mudança da própria estrutura de atuação para se antecipar às inovações tecnológicas em curso.

São exemplos desse novo mundo as fintechs, o sistema Pix, o open banking, que exigem novos modelos de negócio em um ambiente financeiro cada vez mais complexo.

É inegociável buscar eficiência, lucros crescentes, rentabilidade compatível com as principais instituições financeiras. Um Banco competitivo a serviço do desenvolvimento do Brasil, promovendo a melhor experiência aos nossos clientes e o retorno adequado aos acionistas, controlador e minoritários.

Nossas iniciativas estruturantes

Nesse sentido, vamos concentrar esforços em iniciativas estruturantes, como:

– Acelerar a transformação digital e a inovação, para entregar a melhor experiência aos nossos clientes;
– Buscar a integração de todos os canais da empresa (físico e digital), garantindo aos nossos clientes uma experiência única (visão omnichannel);
– Fortalecer as linhas de negócios rentáveis do Banco buscando ampliar a base de clientes;
– Compromisso integral com a austeridade e a eficiência na gestão de despesas e investimentos;
– Priorizar a cadeia de valor do agronegócio, dos grandes conglomerados agroindustriais ao pequeno produtor e aos agricultores familiares; as micro e pequenas empresas — principal segmento empreendedor e gerador de emprego e renda no país; o crédito à pessoa física — para ampliar a oferta para correntistas e não correntistas; e o comércio exterior — para aumentar o acesso e a inserção de pequenas e médias empresas no comércio exterior, tanto na exportação como na importação;
– Efetuar alianças e parcerias estratégicas para ampliar competências que permitam a expansão dos resultados do Conglomerado;
– Realizar desinvestimentos e reorganização societária em negócios com baixa complementariedade;
– Ampliar a atuação da Fundação Banco do Brasil, atraindo parceiros privados e públicos para programas estruturantes nas áreas de educação, saúde e assistência social;
– Investir em treinamento de alta performance, no Brasil e exterior, para qualificar ainda mais nossos jovens gestores e executivos; e
– Valorizar as pessoas, resgatar o “orgulho de ser BB” e aumentar a retenção de talentos.

Nosso time

Tenho a convicção do inestimável valor dos nossos funcionários, capacitados e comprometidos, e sei que nossos acionistas e a sociedade exigem ainda mais de todos nós. Também tenho a convicção de que o Banco está sempre muito acima de interesses individuais.

Eu, os vice-presidentes e diretores devemos trabalhar mais próximos dos clientes, e de nossas equipes nas superintendências e agências, para dar maior celeridade na agenda que queremos implementar.

Faço um reconhecimento especial aos funcionários da rede de agências, sempre fundamentais para o atingimento dos objetivos estratégicos do Banco do Brasil. A dedicação de vocês na linha de frente do atendimento durante a pandemia, garantindo a continuidade da prestação de serviços essenciais para os nossos clientes, é exemplo de compromisso e motivo de orgulho para todos nós.

Vamos manter as atuais regras de trabalho à distância durante a pandemia, e continuaremos avançando nos estudos para avaliar o melhor aproveitamento do home office no futuro.

Solidarizo-me, nesse momento, em nome de todos nós da “família BB”, com todas as famílias das vítimas da pandemia e com os inúmeros profissionais de saúde que atuam em todo o País.

É momento de união de todos nós, colegas do BB. Se existe um diferencial que a sociedade respeita nesta Empresa, é o preparo, o profissionalismo e a dedicação dos funcionários do Banco do Brasil. Nós contamos com todos vocês para juntos conduzirmos a Empresa nessa transformação que os novos tempos exigem.

Nossa convicção

Assim, como em inúmeros acontecimentos de nossa história, o Banco do Brasil será mais uma vez protagonista no caminho da retomada do crescimento econômico e do desenvolvimento do País.

Renovo aqui nossa vocação:

O BANCO DO BRASIL É DE MERCADO E É DO BRASIL !

Agradeço a Deus por este momento e meu muito obrigado a todos.

Fausto de Andrade Ribeiro
Presidente”

Leia mais: Assine a Crusoé, a publicação que fiscaliza TODOS os poderes da República.
Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO