OS DETALHES DA COMPRA DOS PARTIDOS PELA ODEBRECHT

A investigação sobre a compra de apoio de diversos partidos políticos à campanha de reeleição de Dilma Rousseff implodirá o sistema partidário brasileiro – e ainda deve complicar a vida de alguns ministros.

Na semana passada, o ex-diretor Fernando Reis confirmou o acerto de R$ 4 milhões ao PDT de Carlos Lupi. Um total de R$ 35 milhões teria sido usado pela Odebrecht para atrair outros quatro partidos, segundo a Veja, citando delações de Marcelo Odebrecht e Alexandrino Alencar.

O Antagonista descobriu agora nas anotações do celular de Marcelo Odebrecht os detalhes da negociata, sob o singelo eufemismo de “compromissos de reunião”. Lá estão PDT, PRB, PROS, PCdoB e ainda PP, PR e PSD.

Ao lado de cada sigla, o nome (ou iniciais) do dirigente partidário – dois deles ministros do atual governo Temer: Marcos Pereira e Gilberto Kassab (GK). E, claro, os ex-ministros dilmistas Carlos Lupi e Antonio Rodrigues.