ACESSE

Os escudos humanos

Telegram

Elio Gaspari disse que a missão militar no Rio de Janeiro é “demofóbica”, porque mira nos favelados.

O ministro da Defesa, Raul Jungmann, publicou uma resposta em O Globo, dando-lhe uma merecida cacetada:

“É preciso enfrentar a hipocrisia intelectual que, à semelhança dos traficantes nas favelas, coloca os inocentes como escudo de suas teses para aparentemente defendê-los (sem mandato para tal) de um instrumento que os favorece e que só pode ser utilizado com autorização judicial, caso a caso. Valem-se da topografia carioca, de morros e asfalto, para condenar os mandados em comunidades cuja característica é de habitação geminada, comumente utilizada pelos traficantes — não raro à força — para esconder seus arsenais de armas e drogas, dificultando a ação da polícia.

Outros argumentam que a intervenção federal, pelo fato de ser exercida por um general, ameaça os direitos humanos e, mesmo, as vidas de inocentes, pobres e oprimidos em ambiente em que só o traficante é livre.

Como se a intervenção já não configure uma reação máxima do governo federal a um cenário de violência fora de controle, em que milhares de inocentes morrem — agora até mesmo no útero, agravando estatísticas maiores que as de guerras em curso no mundo.”

Raul Jungmann conclui:

“Tratar instrumento judicial como demofobia, para além da rima, pode soar uma demagogia que nos aprisiona em uma falsa polêmica.”

Comentários

  • Francisco -

    É só dizer como se faz.

  • Suburbano -

    O que eu acho mais engraçado é que esses tipos não se mostram indignados com a favelização do país, com a ausência de políticas públicas para exterminar essa chaga, com a ascensão do crime organizado, com a falta de perspectivas da população desses guetos, com a eternização da miséria de grande parte da população brasileira que não verdade só serve a interesses de politicos e empresários corruptos e demagogos!! Encastelados em suas residências em bairros de luxo, é muito fácil falar em democracia!

  • G -

    Pelo PT, estaríamos no Narcoestado

Ler 141 comentários