Os futuros delatores

Depois de Marcelo Odebrecht, Léo Pinheiro. Depois de Léo Pinheiro, Antonio Palocci. Depois de Antonio Palocci, Branislav Kontic.

Isso só vai parar quando toda a ORCRIM estiver na cadeia.

Leia o comentário de Eliane Cantenhêde, no Estadão:

Léo Pinheiro é a pá de cal na defesa do ex-presidente Lula, mas a bola da vez é o seu ex-ministro da Fazenda Antonio Palocci, que conseguiu a proeza de despencar não de um, mas de dois governos diferentes, e continuou aprontando das suas com uma desenvoltura tão surpreendente quanto seu inalterável ar de bom moço, até cair nas garras da Lava Jato e ser considerado hoje o futuro delator com potencial mais explosivo (…).

Ainda há muito o que contar sobre Lula e os governos petistas, mas o grande terreno a ser desbravado não é do lado corrupto, mas do lado corruptor. O que se sabe do sistema financeiro na Lava Jato?