OS INTERESSES DE GILMAR E JANOT

Gilmar Mendes acusou o Ministério Público Federal de vazar a informação sobre Dias Toffoli à Veja, embora Rodrigo Janot negue. Parece que Gilmar acusa sem provas, do contrário não haveria razão para punir a OAS e seus executivos.

Se foi o MPF quem vazou, a OAS não pode ter o seu direito à colaboração cerceado. Pior ainda se isso é feito com base em conjecturas.

O ministro que virou o melhor amigo de Dias Toffoli no Supremo é também o autor do projeto de “abuso de autoridade”, que foi resgatado dos escaninhos do Senado pelo indefectível Romero Jucá.

Gilmar também é contra as 10 Medidas de Combate à Corrupção e acha que o MPF está pondo as manguinhas de fora

Rodrigo Janot, na primeira tentativa de explicar a suspensão do acordo com a OAS, foi lacônico e evasivo. Disse que não existe menção a Dias Toffoli na delação de Léo Pinheiro e, portanto, não haveria o que ser vazado.

Se essa é a verdade, Janot age contra a OAS motivado por outras questões. É bom lembrar que o vazamento da delação de Sérgio Machado foi muito mais grave e nada aconteceu ao seu acordo.

Talvez Janot ache que não há mais espaço para duas delações e preferiu beneficiar a Odebrecht. Só precisava de uma justificativa para escantear a OAS.

Faça o primeiro comentário