Os outsiders da capital federal

Aos poucos, vão surgindo os outsiders para as eleições de 2018, ainda que nos cenários locais.

No Distrito Federal, enquanto a velha guarda — José Roberto Arruda, Joaquim Roriz, Tadeu Filippelli e o entorno deles se reúnem para tentar sobreviver na política –, nomes novos vão ganhando força entre o eleitorado.

Alexandre Guerra, conselheiro e herdeiro da rede de fast-food Giraffas, quer entrar na disputa pelo governo do Distrito Federal. Está sendo sondado pelo Partido Novo.

Janete Vaz, co-fundadora do Laboratório Sabin, empresa que nasceu na capital federal e se espalhou pelo país, também anda na mira de grupos que querem oxigenar a política local. Por enquanto, ela tem negado todos os convites.

Comentários temporariamente fechados.

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.

Ler 10 comentários
  1. Os brasilienses elegeram um socialista e no primeiro mandato ele conseguiu a proeza de acabar com a água da população, mesmo tendo a crise de São Paulo como alerta para a necessidade de investimentos na área. Quem sabe se for reeleito ele não consegue acabar com a comida também.

  2. Esse Joaquim Roriz tá quase se encontrando com Diabo, já até amputou uma das p.atas, mas quer continuar roubando.

    P.q.p, hein!

  3. Pelo visto a marquetagem já elegeu o mote para 2018: candidato bom tem de ser “outsider”.
    Nada mais interessa!

  4. +++++
    A Lei Eleitoral tem de mudar.
    Só pode votar aquele eleitor que tiver ensino superior completo.
    Quando analfabetos funcionais votam, a corja corrupta e populista é sempre eleita.

  5. Outsider mesmo seria o caseiro Francenildo no congresso nacional… no mesmo local que, um dia, o proibiram de falar, utilizando uma liminar do STF.
    Não tenho dúvidas de que ele seria melhor do que muitos que estão lá (e podem voltar em 2018)
    Partido Novo deveria sondá-lo…

  6. TEMOS QUE RENOVAR GERAL , para em seguida EMENDAS na CONSTITUIÇÃO , na area CRIMINAL, na gestão publica com definição de CARGOS DE ESTADO e outras funções e estas enquadradas na CLT, reduzindo O ESTADO, e um programa geral de PRIVATIZAÇÃO – Estado minimo

  7. Dizem aos quatro ventos que por trás de um grande grupo de laboratório está o Sr Paulo Octávio com inúmeros processos na justiça.
    Não é tão outsider assim!

    1. Mais um 0tári0 que acredita e espalha boatos. Se não tem certeza, não publique.
      Esse papo de que “dizem por aí’ é coisa de quem quer queimar alguém na traição.

Os comentários para essa notícia foram encerrados.