Os pagamentos lá fora

Como já publicamos aqui, a Schahin utilizava offshores para firmar contratos com a Petrobras e receber os pagamentos pela operação dos navios-sonda. A existência dessas empresas era apenas formal, segundo relatório da Polícia Federal anexado aos autos da Operação Passe Livre.

“O relatório fiscal demonstra de modo claro e indubitável que a verdadeira materialidade dos fatos aponta para um projeto global tendo como personagens centrais o Grupo Schahin no Brasil e a Petrobras, sendo as fretadoras offshores pessoas jurídicas de existência meramente formal para que possam constar como tomadoras de financiamentos internacionais e para abertura de contas bancárias em paraísos fiscais para promover o recebimento de pagamentos da Petrobrás em decorrência de contratos de afretamento”

A PF agora tem provas de que as offshores foram usadas para pagamento de propina. O delator Eduardo Musa entregou extratos dos depósitos recebidos em sua conta (Debase Assets) no Banco Julius Bar, em Genebra.

Veja a lists dos depósitos em nome das offshores do grupo Schahin:

1) 13/01/2011-USD 48.000-CASABLANCA;

2) 10/02/2011-USD 48.000-CASABLANCA;

3) 4/03/2011-USD 48.000-CASABLANCA;

4) 8/04/2011- USD 48.000-CASABLANCA;

5) 21/07/2011- USD 48.000-CASABLANCA;

6) 6/09/2011-USD 48.000-CASABLANCA;

7) 24/10/2011-USD 48.000-CASABLANCA;

8) 26/07/2012- USD 48.000- DEEP BLACK DRILLING;

9) 27/08/2012- USD 48.000- BLACK GOLD DRILLING;

10) 26/09/2012USD 48.000- DLIF DRILLING;

11) 25/10/2012 USD 48.000- DEEP BLACK DRILLING;

12) 26/11/2012 USD 48.000- DEEP BLACK DRILLING;

13) 24/12/2012- USD 48.000- DEEP BLACK DRILLING;

14) 16/04/2012- USD 48.000- CASABLANCA INTERNATIONAL

14) 10/05/2013- USD 48.000- CASABLANCA INTERNATIONAL

15) 11/06/2013- USD 48.000- CASABLANCA INTERNATIONAL

A Deep Black Drilling LLC é a cessionária do contrato da Schahin com a Petrobraspara a operação do Vitoria 10000.