OS POLÍTICOS NA AGENDA DO DIRETOR DA ODEBRECHT

Um dos principais documentos usados pela força-tarefa da Lava Jato para extrair informações na negociação da colaboração premiada da Odebrecht é uma agenda encontrada na sala de Fernando Santos-Reis, presidente da Odebrecht Ambiental.

Santos-Reis foi alvo de condução coercitiva na Operação Acarajé.

O documento, obtido por O Antagonista, traz anotações de encontros com diversos políticos, como o ex-ministro José Dirceu, o deputado Paulinho da Força, além do governador Marconi Perillo e do então ministro Carlos Lupi.

Em 18 de junho de 2014, por exemplo, ele marcou um almoço com “Paulinho da Força” e anotou: “Tinha falado com Marcelo (Odebrecht) de termos uma data para levar o Paulinho da Força Sindical para almoçar com ele. Além de nós, estaria Alexandrino (Alencar).”

Em 16 de novembro de 2011, Santos-Reis se encontrou com Tarso Genro, então governador do Rio Grande do Sul. O presidente da Odebrecht Ambiental descreveu os projetos que seriam discutidos (Braskem, Trensurb, Energia Eólica, etc.) com o petista.

Na agenda do executivo, há ainda registros de reuniões “de alinhamento” com o ex-ministro José Dirceu e um almoço com André de Souza. Como já denunciado por O Antagonista, Andrezinho era o homem de Lula no conselho do FI-FGTS.

A PF investiga se ele recebeu propina para liberar recursos para obras da Odebrecht e de outras empreiteiras da Lava Jato.