Os presos do Grupo Estre

Wilson Quintella e Mauro de Morais foram presos pela Lava Jato.

Segundo o MPF, Wilson Quintella, do Grupo Estre, pagou propinas a Sérgio Machado e seus emissários, em espécie, mediante sucessivas operações de lavagem de capitais que envolveram o escritório de advocacia de Mauro de Morais.

A Receita Federal apurou que o escritório recebeu, entre 2011 e 2013, cerca de 22,3 milhões de reais de empresas do Grupo Estre, sem que tenha prestado efetivamente qualquer serviço.

Conheça Por Dentro O Estrago Que A Esquerda Fez na Venezuela. Poderia Ser No Brasil. MAIS AQUI

As investigações apontam ainda que logo após a realização dos depósitos nas contas controladas por Mauro de Morais ocorriam saques fracionados em espécie e isso era feito como uma forma de burlar os controles do Coaf.

Comentários

  • REVOLTADO -

    A OAB -o sindicato dos "adevogados"- não vai se pronunciar? Soltar uma daquelas notinhas infames em defesa da "crasse"?

  • ALEXANDRE -

    De quantos milhões se fala do Flávio Bolsonaro? Porque o COAF não viu 1 trilhão desaparecer na corruoção do PT? Estão escandalizados com R$ 90 mil do Bolsonaro. VTNC.

  • ANTONIO -

    Duas provas de que o COAF foi devidamente aparelhado pela esquerda: 1)O tamanho da grita ao mudar para a Justiça e 2) Não enxergar o mais de 1 trilhão movimentados pela quadrilha de Lula.

Ler 14 comentários