Os R$ 23 milhões de Serra

O esquema de propina, segundo a Veja, começou a funcionar em 2009, quando ele começou a se movimentar dentro do PSDB para concorrer à Presidência da República.

Sérgio Guerra, ex-presidente do PSDB já morto, foi quem sugeriu usar as contas de Ronaldo Cezar Coelho para camuflar a propina da Odebrecht. Os pagamentos obedeciam a um cronograma.

Cerca de R$ 6,5 milhões foram usados para cobrir gastos da campanha de 2010. A revista diz ainda que Coelho aderiu ao programa de repatriação de recursos.

Faça o primeiro comentário